Copa

Participar de uma competição como a Copa do Mundo como espectador foi uma experiência nova para mim. Já havia percorrido praticamente todos os países da América do Sul, além da China e a capital da França. Agora, tive oportunidade de conhecer o continente africano, mais precisamente a África do Sul e Moçambique, justamente durante a realização da Copa.

Incoerência

Tem algumas incoerências nas decisões da FIFA. Há uma série de restrições quanto ao que o torcedor pode levar para o estádio. É questão de segurança. Mas algumas coisas destoam. Você pode levar uma garrafinha de água mineral, mas precisa deixar a tampa dela no acesso ao estádio. Enquanto isso, são vendidas bebidas nos bares dos estádios, inclusive cerveja em garrafa long neck, que o torcedor pode levar para a arquibancada.

Segurança

Já no transporte aéreo constatei outra incoerência. O passageiro não pode levar sequer um canivete na bagagem de mão. Mas a companhia aérea South África Airways, que é a principal da África e conta com grandes e modernos aviões, serve refeições e cede para uso do passageiro garfo, faca e colher de metal. Ora, se alguém quiser, pode usar isso como arma e render um tripulante para desviar um voo, por exemplo.

Ingerência

Depois que o selecionado da Nigéria foi eliminado da Copa do Mundo, onde conquistou apenas um de nove pontos disputados, o presidente nigeriano decidiu excluir a seleção nacional de todas as competições nos próximos dois anos. A ingerência política no futebol nunca foi boa conselheira. Imagine isso acontecendo na seleção brasileira.

Inglês

O domínio pelo menos razoável da língua inglesa é fundamental para o turista poder se comunicar em qualquer país do mundo. Como meu inglês não passa do básico do básico, nas viagens internacionais fora da América do Sul enfrento certa dificuldade.

Espanhol

Meu espanhol (ou portunhol) é bem melhor do que o inglês. Fiz amizade com vários argentinos, mexicanos e pessoas de outros países onde se fala o espanhol. Como eles falam bem o inglês, serviam como tradutores quando necessário.

Alemão

Em muitas oportunidades o alemão também foi muito útil, pois encontrei vários alemães durante a Copa do Mundo. Da mesma forma como fiz com os de língua espanhola, me vali deles quando foi necessário.

Admirados

Mesmo falando o dialeto alemão praticado aqui na região, todos os alemães com os quais conversei ficaram admirados como alguém do Brasil possa ter o domínio da língua deles e se fazer compreender perfeitamente. E queriam saber onde eu havia aprendido. Expliquei que na nossa região, na minha época de criança, era comum a gente aprender primeiro a língua alemã, em casa, e depois o português, este quase sem