Improbidade

Probo, segundo o dicionário Aurélio, é quem tem caráter íntegro, é honesto, honrado, reto, justo. Probidade, portanto, é a qualidade de quem é probo. Logo, improbidade significa o contrário de tudo isso. O leitor deve ter ouvido falar no termo várias vezes no início desta semana. Reportagem do Fantástico, conduzida pelo melhor repórter investigativo do país, Giovani Grisotti, da RBS TV Porto Alegre, mostrou para todo Brasil como certos vereadores fazem pouco caso do dinheiro público. Mostrou a improbidade administrativa destes políticos ao se locupletarem com dinheiro público.

Cursos

Existem cursos para vereadores que são úteis, promovidos por instituições sérias, eficientes. Assim como tem outros que servem somente de instrumento para embolsar dinheiro público por políticos e donos de empresas desonestos. Infelizmente, as instituições e órgãos públicos encarregados de fiscalizar o correto uso desses recursos deixam bastante a desejar. E a imprensa tem-se mostrado mais eficiente do que os tribunais de Contas, o Ministério Público e a polícia nas investigações dessas falcatruas.

Eleitor

Quem acompanha a coluna é testemunha que faz muitos anos que insisto que o eleitor é um dos grandes culpados por essa situação toda. Afinal, é através de seu voto que os políticos são conduzidos aos mais diversos cargos eletivos. A prova disso, mais uma vez, está patente no caso dos vereadores flagrados metendo a mão no dinheiro do contribuinte. Em 2006, o mesmo repórter foi autor de reportagem onde foram mostrados vários casos de cursos fajutos que serviram para desviar dinheiro de câmaras municipais. Pois, pasme o (e)leitor. Dos 17 vereadores flagrados em 2006 fazendo turismo com dinheiro público, 11 dos 12 que se candidataram foram reeleitos! Isso em 2008, apenas dois anos depois. Ou seja, o eleitor, que tinha o poder de punir os maus políticos que usurparam a coisa pública, os premiou ao reconduzi-los, pelo voto, ao Legislativo em diversos municípios do Estado. Alguns de nossa região, inclusive.

Inter

O colorado fez um jogo espetacular, primoroso, contra o Chivas, na quarta-feira, no México, vencendo por 2×1. Foi uma partida de encher os olhos, como há tempo não se via. Ao menos nos jogos do Inter. Pela segunda vez seguida, uma falha do goleiro quase comprometeu todo o trabalho do grupo. Mas o time soube reagir e impor seu futebol mesmo jogando em gramado artificial e tendo perdido o centroavante, por lesão, ainda no primeiro tempo, o que trouxe dificuldades ainda maiores. O Inter está a um passo do segundo título da Libertadores. Mas nada está ganho. O Chivas é um time perigoso mesmo fora de casa.

Picles

+ Embora em ritmo lento, obras de restauração do acostamento entre Santa Rosa e Santo Cristo continuam.

* Tem muito palpite