Requião

O ex-governador do Paraná Roberto Requião, hoje senador da República, é conhecido por seu destempero verbal. Trata-se de um “estopim curto”, na linguagem popular. Pois esta semana sua excelência sentiu-se mortalmente ofendido pela pergunta de um repórter da Rádio Bandeirantes em entrevista coletiva que concedia no Senado. O tema girava em torno da inflação. O repórter perguntou se Requião abriria mão da pensão (coisa pouca, uma merreca de R$ 24 mil mensais) que recebe como ex-governador. Em vez de simplesmente responder (que sim ou que não), tomou o gravador das mãos do jornalista e apagou o conteúdo da gravação. Ainda posando de vítima, foi à tribuna do Senado queixar-se do tratamento injusto que ele e os políticos em geral recebem da imprensa. Disse que todos são vítimas de “verdadeiro bullying que sofremos, nós, os brasileiros, parlamentares ou não, nas mãos de uma imprensa, muitas vezes, absolutamente provocadora e irresponsável”. Comovente.

Artigo

Leitora da coluna, Márcia Cristina Gerhardt é santo-cristense graduada em Ciências Biológicas pela URI de Santo Ângelo. Com louvor, registro a publicação de seu artigo “Diagnóstico da Arborização Urbana em Área Central de Santo Cristo – RS”, na Revista Brasileira de Arborização Urbana (RESBAU), edição de 2011. “Foi um trabalho gratificante, agora reconhecido e registrado nacionalmente”, observa Márcia. O artigo pode ser visto na íntegra no link http://www.revsbau.esalq.usp.br/volume6numero12011/silvicultura_urbana.php.

ONU

Raquel Rolnik é relatora especial da ONU para a Moradia Adequada e acusa autoridades de diversas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 de desalojar e deslocar pessoas de maneira forçada para executar obras. A mesma acusação é feita com relação às Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Segundo Raquel, isso pode constituir violação dos direitos humanos.

Copa

Muito já se falou e muito ainda se falará sobre os atrasos nas obras necessárias para a Copa do Mundo de 2014. Tudo indica que na última hora elas serão realizadas com dispensa de licitação. Aí mora o perigo. Com licitação as falcatruas já acontecem e as obras encarecem. Imagina, então, com contratos celebrados sem concorrência pública. Mas se tudo continuar nesse ritmo, ao sabor do jeitinho, estamos sujeitos a passar vergonha diante do Mundo na próxima Copa.

Picles

* A cultura do “puxadinho” vai prevalecer. Ou seja, vamos pra Copa do Mundo na base do remendo, do improviso.

+ Procura pelo livro HISTÓRIAS DA HISTÓRIA é grande. Restam poucos exemplares.

* Grêmio jogou mal e perdeu em casa para a UC, do Chile. Precisa reverter o placar em Santiago.

+ Estranhamente, a Universidad Católica tem conquistado mais pontos fora do que em seu reduto. Tricolor terá forças para reagir?

* O Inter também tem chances limitadas de avançar na Libertadores. Precisa passar pelo Penharol, do Uruguai.

+ Resta saber quem vai sofrer mais: gremistas ou colorados.